• Ale Nagado

Katsushi Murakami: Designer de super-heróis

Vamos dar uma olhada na carreira de um dos mais importantes designers de armaduras de super-heróis, vilões, naves e robôs japoneses.

Alguns dos visuais projetados pelo grande Katsushi Murakami

Na vasta indústria do entretenimento japonês, especificamente nas áreas de tokusatsu e animê infanto-juvenil, as parcerias com fábricas de brinquedos são essenciais para gerar renda e investimentos em produções. Até o início da década de 1970, a produção vinha em primeiro lugar e depois os estúdios buscavam o licenciamento de produtos.


Ao longo da década seguinte, porém, a lógica foi invertida e os produtos passaram a ser tão ou mais importantes que as aventuras infanto-juvenis a serem veiculadas na TV ou no cinema. Isso levou a parcerias estreitas na realização das obras, com empresários do ramo de brinquedos interferindo diretamente nos rumos de séries, na medida em que veículos, máquinas, robôs e acessórios novos precisavam de uma justificativa para aparecer e criar o impulso de consumo entre os telespectadores.

Isso fez com que a indústria do entretenimento prosperasse muito, criando também novos desafios para as equipes criativas. Quem soubesse conciliar bem a veiculação de colecionáveis com boas histórias e diversão ao público, conseguia sobreviver no concorrido mercado japonês. Nesse processo, o projeto visual dos heróis foi ficando cada vez mais a cargo das empresas fabricantes de brinquedos.

Katsushi Murakami: Desenhista, supervisor de produção e executivo de negócios.

No caso dos seriados tokusatsu da Toei Company, a parceria com a gigante Bandai estabeleceu que esta última ficaria responsável pela palavra final dos maquinários e uniformes, pois levaria em conta a facilidade de produção industrial dos moldes de brinquedos. Falando assim, parece algo engessado e limitado, mas houve um desenhista que conseguiu fazer trabalhos extremamente marcantes dentro das limitações e estratégias comerciais adotadas. Seu nome é Katsushi Murakami.


Nascido em 23 de setembro de 1942, ele se juntou à Bandai em 1961, mas no setor de vendas. Na década seguinte, seu talento como desenhista explodiu e ele logo foi galgando posições na empresa. É considerado um mestre do design de brinquedos no Japão e até presidiu empresas ligadas à Bandai, tendo supervisionado diversas equipes de criação.


Katsushi Murakami esteve na direção da equipe de projetos da Popy, que depois mudou o nome para PLEX, sendo uma divisão da poderosa Bandai, que produz brinquedos e colecionáveis, mas também possui atuação em diversas áreas do entretenimento. .

Policial do Espaço Gavan (1982), talvez o mais importante trabalho do desenhista.

Seguindo orientações do produtor Susumu Yoshikawa (1935~2020), Murakami criou o visual do Policial do Espaço Gavan (1982), que revolucionou os heróis da TV.


O personagem deu origem aos Policiais do Espaço e, num escopo maior, à linhagem dos chamados Metal Heroes. Yoshikawa foi o produtor visionário por trás de Gavan e o roteirista Shozo Uehara (1937~2020) deu forma à saga do personagem, sendo ambos muito celebrados por suas contribuições. Já Murakami, por outro lado, é pouco conhecido entre os fãs, mas sua influência visual foi reconhecida até pelo cineasta Paul Verhoeven quando o primeiro filme de Robocop foi lançado, em 1987. O diretor contou certa vez que o visual de Gavan teve impacto na elaboração inicial do personagem americano.

O popular Iron Man 28, conhecido nos EUA como Gigantor.

Sua contribuição à cultura pop japonesa é inestimável, tendo trabalhado em animês como Dairugger XV, God Mars, Dancougar Nova, Darutanias, Lezarion, Space Adventure Cobra (não-creditado) e muitos outros títulos. Em certas ocasiões, trabalhava para aperfeiçoar um desenho de outro autor. Foi assim na versão que projetou para a segunda série Tetsujin Ni-ju Hachi Gou, atualização feita em 1980 para um antigo robô gigante de Mitsuteru Yokoyama (1934~2004), o mesmo autor do Robô Gigante.


Por ser ligado à Bandai, que é fabricante de brinquedos, e não aos estúdios de criação, talvez seu nome não fosse muito considerado por seus pares. A Toei não costumava sequer mencionar o nome de Murakami ao divulgar as fichas técnicas com a equipe de produção.


Em várias séries, ao citar o desenhista de produção, a Toei apenas dava o nome de seu colaborador, que muitas vezes fazia o character design de personagens secundários, sendo que o autor do visual do herói principal e seu maquinário era oculto. Uma tremenda injustiça, jamais reparada. De qualquer forma, é no tokusatsu que Murakami fez seus trabalhos mais marcantes, como o robô Leopardon da série do Homem Aranha japonês (1978) ou o visual do herói Kamen Rider BLACK / BLACK RX e seu rival, Shadow Moon.

Destaque em Kamen Rider Black (1987) Shadow Moon é um dos vilões mais icônicos da franquia Kamen Rider.

Tendo feito a maior parte de seus trabalhos para parcerias da Bandai com a Toei Co., Murakami também assinou os designs principais dos heróis e veículos de Sharivan, Shaider, Goggle V, Machine Man, Bicrossers, Changeman, Jaspion, Spielvan, Maskman, Jiraiya, Jiban, Winspector e muitos outros personagens. Sendo da Bandai, ele criava os visuais já pensando nos moldes para a produção industrial dos brinquedos, o que era fundamental para os negócios que mantinham as séries em produção. Se há um desenhista cujo resultado final do trabalho foi amplamente visto no Brasil, é Katsushi Murakami. Outras obras dele com tokusatsu incluem criações visuais para as séries Sun Vulcan, Bioman, Dairanger e Ohranger, entre outras, sendo que ele tinha uma equipe para auxiliá-lo e cuidar de desenhos secundários, bem como refinar o detalhamento dos projetos que criava. Em geral, o resultado final era trabalho de uma equipe, mas sempre com sua supervisão. Indo além de seu trabalho como desenhista ou chefe de criação, Murakami trabalhou no planejamento total de várias produções, como os animês 3x3 Eyes ("Sazan Eyes"), Little Twins, Kamen Rider SD (neste ele foi produtor executivo), Macross II The Movie e os filmes de tokusatsu para cinema de Kamen Rider ZO e Kamen Rider J. Já no filme para vídeo Shin Kamen Rider ~ Prologue, foi produtor executivo.

Changeman - Estudos para os capacetes.

Nas séries Ultra, ainda criou veículos para Ultraman 80, de 1980 e desenhou um dos visuais inicialmente testados para o Ultraman Powered. Novamente, como era ligado à Bandai e não à Tsuburaya Pro, seu nome é pouco lembrado ou mesmo conhecido pela maioria dos fãs, especialmente no ocidente. Um pouco dessa injustiça foi combatida em 2017, quando a editora PIE International lançou no Japão o livro All About Katsushi Murakami, uma luxuosa compilação de designs inteiramente concebidos ou coordenados por ele.

O design original de Jiraiya, com colorização diferente da utilizada na série.

Em décadas de atuação na área, trabalhou com todas as grandes franquias de heróis japoneses e, tendo criado uniformes e máquinas para vários grupos Super Sentai, sua influência visual se estendeu até Power Rangers. Atualmente ele está aposentado de suas atividades profissionais, mas deixou um legado impressionante e ajudou a dar forma às ideias de produtores, enquanto fazia suas criações sob medida para a produção industrial de brinquedos e colecionáveis. E, se os brinquedos de seriados de heróis japoneses são um complemento indispensável à diversão dos fãs, ele merece ser reconhecido como um nome de grande importância para a indústria da cultura pop japonesa.

Leopardon, o robô gigante do Homem Aranha japonês.

Compartilhe este post em suas redes sociais!


Campanha Sushi POP no Apoio Coletivo


- Apoie o meu trabalho, doando qualquer valor a partir de R$ 5,00 e incentive a continuidade do Sushi POP. Se preferir, tem o PIX: nagado@gmail.com


App do Sushi POP


- Não perca nenhuma atualização. Já tem o app? Use esse código de convite: 6Q946U