• Ale Nagado

Kamen Rider BLACK RX - O Filho do Sol

A segunda fase das aventuras de Issamu Minami, com novos poderes, novos desafios e novos amigos.

BLACK RX: Um dos mais populares heróis da franquia Kamen Rider.

[ Nota: Se ainda não viu, recomendo que veja primeiro a matéria sobre BLACK Kamen Rider. ]


UM NOVO COMEÇO


Depois de toda a destruição e sofrimento causado pelos demônios Gorgom, o Japão parece ter voltado à normalidade. O herói Kamen Rider BLACK desapareceu e, após a vitória na base subterrânea dos Gorgom, não mais foi visto em público. Aos poucos, a vida foi retomando seu curso.


O herói anônimo da humanidade, Issamu Minami, tendo perdido todos que amava, começa a reconstruir sua vida. Foi auxiliado por seu tio Shunkichi Sahara, que o convence a tirar licença de piloto de helicóptero e o coloca para trabalhar em sua empresa Sahara Airlines. Assim, ele vai morar com a família Sahara, formada por seu tio, sua tia Utako e os dois filhos pequenos deles, Shigeru e Hitomi. Graças a eles, Issamu recupera sua alegria, e deixa para trás o trauma que foi o período de luta contra a seita Gorgom.

Issamu Minami e Reiko Shiratori

Para melhorar, o rapaz conhece a fotógrafa Reiko Shiratori, com quem logo começa um relacionamento. Sem que ele desconfiasse, a tranquilidade não iria durar.


Vinda do mundo Kaima, localizado em outra dimensão, uma gigantesca nave espacial paira sobre a Terra. Ela abriga os guerreiros do Império Crisis, um grupo de conquistadores e saqueadores interessados em fazer da Terra seu novo lar. Eles estudaram seu alvo inicial, o Japão, e localizaram BLACK, visto como uma grande ameaça a seus planos de estabelecimento de uma base no país.


Crisis captura Issamu Minami e o leva para sua nave, exigindo cooperação. Ele se recusa e é lançado ao espaço para morrer. Então, a energia da pedra King Stone em seu corpo reage com a energia solar captada no espaço, sem o filtro da atmosfera da Terra. A enorme energia resultante causa uma grande transformação no herói.

Dasmader, General Jark, Bosgan e Marie Baron.

Exposto à radiação solar intensa, o Kamen Rider passa por uma estranha metamorfose que altera seu visual e até mesmo a natureza de seus poderes. Ele cai na Terra e, ao recobrar a consciência, descobre que está diferente.


Renascendo e se apresentando agora como o Filho do Sol, o herói passa a se denominar Kamen Rider BLACK RX. Os destroços da moto viva Battle Hopper, destruída por Shadow Moon, recebem a energia de RX graças ao elo vital entre eles. Assim, Battle Hopper renasce mais poderosa, agora sendo chamada de Acrobatter.


Como RX, o herói passa a aplicar o Chute RX, um "Rider Kick" dado com os dois pés, assim como fazia Shadow Moon. E a grande nova arma é Metalion (no original: Revolcane), uma espada de energia gerada por um dos cristais de seu cinto.

Robô Rider, RX e Biorider.

ALIADOS E FORMAS ALTERNATIVAS


Com o tempo, RX descobre que pode transmutar para duas outras formas com poderes distintos: o forte e blindado Robô Rider, com sua pistola Voltick Shooter e o ágil Bio Rider, com sua espada Bioblade e o poder de se tornar energia líquida. As formas alternativas de RX surgiram em sua passagem pelo mundo Kaima, de onde também vieram os planos para a construção do super carro Ridron.


Além da ajuda de Reiko, que se mostra uma investigadora boa de briga, RX conhece dois dissidentes de Crisis, a arqueira sensitiva Kyoko Matoba e o ciborgue Joe Kazumi. Depois, o cozinheiro que trabalha para Sahara, Goro, se junta eles, sendo bastante corajoso e esperto. Juntos, eles formam uma força de resistência contra Crisis.


Nessa nova jornada, RX descobre que Shadow Moon sobreviveu ao desabamento da base Gorgom e, mesmo sem memória recente, é movido por seu desejo de destruí-lo. Mesmo com seus novos poderes e formas, Kamen Rider descobre que Shadow Moon ainda é um rival poderoso. Desta vez, Nobuhiko Akizuki encontra a redenção antes de morrer como um herói após salvar duas crianças.

A luta final entre RX e Shadow Moon.

Quando a batalha contra Crisis se intensifica, os 10 Kamen Riders que antecederam BLACK retornam ao Japão e se unem a RX e seus amigos.


Exibido entre outubro de 1988 e setembro de 1989, RX tem um planejamento ainda mais irregular que BLACK, mas tem grandes momentos. Entretanto, o final foi um tanto quanto descuidado, com mortes tratadas como se não tivessem grande importância e um desfecho sem impacto, com o misterioso Imperador Crisis se revelando uma cabeça gigante cheia de tentáculos e que, na prática, se mostrou somente um típico "monstro da semana".

A PRODUÇÃO


Com pouquíssima participação do criador Shotaro Ishinomori, que fez apenas alguns esboços de vilões, a série foi, mais até do que BLACK, um projeto da Toei Company. Muitos nomes de talento na produção, que trouxe de volta o compositor Eiji Kawamura e o designer de heróis Katsushi Murakami, este trazido pela Bandai - a produtora dos brinquedos - e pouco lembrado em materiais de referência da série por não ser da Toei.


No elenco, algumas figuras que deixaram sua marca no tokusatsu. A bela Jun Takanomaki (Reiko) havia sido a heroína Diana em Spielvan (1986), enquanto Atsuko Takahata (Maribaron) fora a bruxa Kilza em Jaspion (1985). Já o ator e roteirista Jo Onodera (Goro) é filho de Shotaro Ishinomori. Roteirista e ator, ele teve papel fixo em Ultramand Dyna (1997) e filmes relacionados, como o oficial Nakajima.


É certo que RX teve um planejamento descuidado, mas a série teve boa aceitação de público e foi um dos Riders mais populares em seu tempo. Ainda é.


CONSIDERAÇÕES SOBRE A TRAMA E O PERSONAGEM


Uma crítica muito recorrente é relacionada ao humor da série, que incomodou um pouco até o ator principal, Tetsuo Kurata, apesar do tom mais leve ter sido sugestão dele. Muito também já se disse sobre o personagem parecer muito diferente, mais tranquilo e alegre do que o sisudo Issamu Minami visto na série anterior. Mas se analisarmos bem o enredo de BLACK, deve-se lembrar que Issamu levava uma vida de garoto rico, sem grandes preocupações. As cenas de flashback dele sempre mostravam um cara feliz e de bem com a vida. Daí, veio o sequestro pelos Gorgom, a operação mutante, a fuga desesperada, o assassinato do pai adotivo e os ataques de monstros. Ele passou a viver uma vida de fugitivo, sempre com certa tensão no ar.


A série de RX se passa seis meses depois do final de BLACK, com Issamu já estabelecido em um emprego e morando com seus parentes. Era esperado que seu lado mais natural e descontraído voltasse. Ficou faltando uma conexão maior com a série de BLACK, pois no final, sua irmã de criação Kyoko Akizuki e a namorada de Nobuhiko, Satie, haviam fugido para os EUA achando que Issamu/BLACK estava morto após ser vencido por Shadow Moon (ep. 47).


Na trama, aos olhos da população, os Gorgom desapareceram misteriosamente sem deixar vestígios e BLACK nunca mais foi visto. Como RX é diferente visualmente, certamente todos pensaram ser mesmo um novo herói, e não o antigo com novo visual. Isso criaria possibilidades extras, mas aí um outro elemento deve ser considerado. RX deveria ser uma série independente e os produtores quiseram aproveitar a popularidade do ator principal.


Somente o primeiro episódio, no qual Issamu até tenta se transformar em BLACK e é impedido, e depois os três episódios que mostram Shadow Moon (21, 22 e 27), possuem conexão com a série anterior.


O clima mais leve e infantil da série incomoda parte dos fãs antigos mas, verdade seja dita, esses geralmente possuem uma visão romantizada de BLACK baseados nos dois primeiros episódios da série, que são mesmo impressionantes e sombrios. A maior parte de Kamen Rider BLACK, entretanto, trazia a fórmula "criança em perigo + monstro da semana", tão comum em séries tokusatsu daquela época. A série BLACK já havia sofrido problemas de planejamento e mudanças de rumo e até de estilo, mas nem se compara a RX, que ficou muito aquém do que poderia ter sido.

O Imperador Crisis.

FINAL DESASTROSO (contém spoiler)


A tão anunciada e aguardada participação dos 10 Kamen Riders anteriores (do primeiro ao ZX) foi pífia, sem que eles fizessem nada de significativo, sendo apenas figurantes ou lutadores sem efetividade alguma, visto que RX acaba destruindo sozinho todos os vilões principais. Chutar soldados Crisis até a Reiko (uma humana comum) conseguia.


E no final, o alívio cômico que sempre foi o casal Sahara, morre de forma brutal na frente das crianças. Ao vencer Crisis, um Issamu feliz e aliviado anuncia que quer viajar para o exterior para se tornar um herói melhor. Vai embora deixando as crianças, que acabaram de ver os pais serem assassinados, aos cuidados da amiga Kyoko Matoba. E também parece que esqueceram que Issamu e Reiko eram namorados, pois ele a trata como aliada de batalha, igual aos demais, na reta final da série. Analisando, fica bem claro a perda de rumo nas histórias e como RX teve um final precário e que coloca em dúvida a própria personalidade do herói.


ALÉM DA SÉRIE

BLACK, Biorider, Roborider e RX.

Em abril de 1989, um curta de 17 minutos mostrou RX se encontrando com BLACK em uma história que envolvia viagem no tempo. Em Kamen Rider - Sekai ni Kakero (Kamen Rider: Stay in the world), chegam a aparecer lado a lado 4 versões do herói: BLACK, RX, Robô Rider e Biorider. Com direção de Yoshiaki Kobayashi, o curta fez parte de um festival de cinema 3D na cidade de Yubari, sendo depois exibido em outros festivais pelo Japão. Simultaneamente à série de TV, foram produzidos, por diferentes autores, séries curtas de mangá nas revistas Terebi Kun, Terebi Land e Comic Bonbon.


Em termos de marketing, BLACK RX, por muito tempo, deixou o BLACK em segundo plano, já que eles eram o mesmo personagem. Porém, isso seria um problema facilmente contornável.

Em Kamen Rider Decade (2009), o herói viajante dimensional foi parar em um mundo onde RX estava lutando contra Crisis há 20 anos. Já em outra dimensão, Decade se vê em um mundo onde BLACK nunca se transformou em RX. No ápice do arco de histórias (eps. 26 e 27), duas versões de Issamu Minami se encontram, com BLACK e BLACK RX lutando lado a lado.

RX e BLACK juntos em cena de Kamen Rider Decade.

Nos filmes da linhagem Kamen Rider, sempre que há um grande crossover entre os heróis, ficou comum ver BLACK e RX indistintamente lutando lado a lado, tendo em mente apenas a diversão, sem explicações ou preocupações com lógica ou cronologia.


O crescente interesse do público pela forma original de RX levou a Toei a anunciar, para 2022, um reboot da série original, intitulado Kamen Rider BLACK SUN.


A EXIBIÇÃO NO BRASIL


No Brasil, RX saiu em fitas VHS e foi exibido pela antiga TV Manchete na metade da década de 1990. O dublador Elcio Sodré reprisou seu papel como Issamu Minami. O personagem teve vários brinquedos lançados pela Glasslite, que financiou o lançamento de RX simultaneamente com Solbrain, série de 1991 que sucedeu Winspector. Os produtos de RX vinham com a frase "As novas aventuras de Issamu Minami, o Homem-Mutante". [Nota: A frase foi criada pelo autor deste blog, que prestou consultoria profissional para a Glasslite junto com Marcelo Del Greco.]


No canal pago Fox Kids, foi exibida uma versão americanizada com elenco alterado, a série Masked Rider (1995). O "RX americano" ainda apareceu em um crossover com os Power Rangers, mas sua passagem pelo Brasil não marcou muito o público, que em sua grande maioria se interessou mais pelo RX exibido em TV aberta.


Até hoje, o personagem Issamu Minami é um dos heróis japoneses mais queridos pelo público brasileiro, seja se transformando no sombrio Kamen Rider BLACK ou no radiante BLACK RX.

RX e Acrobatter

FICHA TÉCNICA:

Kamen Rider BLACK RX ~ 仮面ライダーBLACK RX Estreia no Japão: 23/ 10/ 1988 (TBS) Número de episódios: 47


Criação: Shotaro Ishinomori Roteiro: Takashi Ezure, Kenichi Araki, Kyouko Sagiyama, Junichi Miyashita, Takashi Yamada e Ryusaku Murayama

Design de personagens: Katsuhi Murakami (RX, Biorider, Roborider, Shadow Moon), Keita Amemiya, Ryu Noguchi, Tamotsu Shinohara e Shotaro Ishinomori (monstros)

Efeitos especiais: Nobuo Yajima

Trilha sonora: Eiji Kawamura

Direção: Yoshiaki Kobayashi, Masao Minowa, Atsushi Tsutabayashi, Makoto Tsuji, Takeshi Ogasawara e Noboru Matsui

Produtores: Susumu Yoshikawa e Nagafumi Hori (Toei), com Ryo Iguchi e Naoyoshi Yamada (Mainichi) Realização: Toei Company & Mainichi Housou

Emissora no Brasil: TV Manchete Versão brasileira: Álamo


ELENCO:

Issamu Minami (Kohtaro Minami)/ Kamen Rider BLACK RX [voz]: Tetsuo Kurata

Reiko Shiratori: Jun Takanomaki

Joe Kazumi (Kasumi no Joo): Likiya Koyama

Kyoko Matoba: Megumi Ueno

Shunkichi Sahara: Makoto Akatsuka Utako Sahara: Eri Tsuruma

Shigeru Sahara: Goh Inoue

Hitomi Sahara: Shouko Imura

Goro: Joe Onodera


General Jark (Jark Shogun) [voz]: Seizou Kato (eps. 1~44) e Hidekatsu Shibata (45, 46)

Marie Baron: Junko Takahata

Shadow Moon [voz]: Masaki Terasoma (eps. 22 e 27) Dasmader: Tetsuya Matsui

Kamen Rider BLACK RX, Robô Rider, Biorider [suit actor]: Jiro Okamoto (principal)

Dublês: Japan Action Club

Narrador: Issei Masamune

::: Action Figures :::

Links para matérias do blog Casa do Boneco Mecânico, sobre as action figures da linha SH Figuarts da Bandai. Muitas fotos exclusivas e numerosas informações sobre os personagens. Recomendo demais a leitura! - Kamen Rider Black RX - Shadow Moon - Kamen Rider Black RX (2ª Versão) & Acrobatter - Roborider - Biorider


- Alexandre Nagado


---------------------------------------


Campanha no ApoioColetivo

- Contribua com qualquer valor a partir de R$ 5,00 e incentive a continuidade deste blog.


Aplicativo p/ smartphone do Sushi POP

- Não perca nenhuma atualização. Use o link para se juntar: http://wix.to/KxHotzG?ref=so. Já tem o app? Use esse código de convite: 6Q946U