top of page

O Rei dos Editores - Henshuu Ou

Um mangá sobre a difícil profissão de editor de mangá no Japão.

A arte de Seiki Tsuchida.

No competitivo mercado editorial do mangá no Japão, uma figura fundamental e pouco conhecida é a do editor. Cabe a ele fazer a ponte entre o autor e a empresa que o publica, cuidando para que prazos sejam cumpridos e muitas vezes até mesmo interferindo nos rumos da história. Especialmente nas revistas semanais para rapazes, ao analisar votações de público e reações dos leitores, os editores pedem mudanças e alterações. Editores de mangá precisam ser exigentes e saber lidar com prazos, egos inflados de certos autores (e insegurança de tantos outros) e conciliar tudo com os interesses dos donos das editoras. Muitas vezes uma figura temida pelo iniciante e até pelos veteranos, editores trabalham nos bastidores e nunca têm seu valor bem reconhecido ou percebido pelo público. Pois é sobre esse mundo que trata o mangá "O Rei dos Editores", tradução para “Henshuu Ou[ 編集王 ], de Seiki Tsuchida.


Henshuu Ou conta a trajetória de Kanpachi Momoi, um rapaz do campo que aspira ser campeão de boxe, sendo fã do lendário mangá Ashita no Joe, de Tetsuya Chiba. Após sofrer um descolamento de retina em um combate, o que o impossibilita de continuar nos ringues, um amigo lhe arranja emprego como editor. Mesmo sem experiência e sem saber ao certo o que o espera, Kanpachi aceita e entra de cabeça no mundo editorial e se torna editor da revista semanal (fictícia) Young Shot.


Homem franco e apaixonado por mangá, mas também direto e um tanto rude, Kanpachi aprende a lidar com as exigências da profissão, sendo meio psicólogo, meio pai de autores problemáticos. Para um editor capaz de literalmente partir alguém irritante ao meio, ele se mostra humano e capaz de grandes gestos de solidariedade. E se a pressão relacionada a prazos, qualidade e popularidade sobre os autores é grande, a que recai sobre os editores chega a ser maior, pois são eles que precisam se explicar diretamente aos diretores das empresas.

No traço de Tsuchida, as muitas vezes tensas relações entre artistas e editores.

Em uma obra de referência como o livro Manga Manga – The World of Japanese Comics, de Fred Schodt, conta-se até a história de um autor que, não aguentando a pressão de prazos e a presença do editor em sua casa aguardando impaciente a entrega da história, fugiu pela janela do banheiro. Não adiantou e foi trazido de volta para acabar o trabalho. No sistema editorial japonês, onde as revistas são antologias com histórias de vários autores, coordenar os trabalhos é tarefa muitas vezes dividida por mais de um profissional e, nas disputadas publicações semanais, uma coordenação precisa do trabalho dos editores é fundamental para que a engrenagem se mantenha em movimento.


Quando um autor falha, seja por motivo de doença, como já aconteceu até com Rumiko Takahashi (Ranma ½), um editor seleciona material de um iniciante para “tapar o buraco” e assim por diante. Editores são tão implacáveis ao cobrar prazos dos autores que é comum o editor ir à casa dos autores mais irregulares e ficar lá até o trabalho ser entregue em mãos ou então literalmente prender o autor e assistentes em um hotel para que terminem tudo no prazo.

Um mangá sobre o mundo dos editores.

A história apresenta muitas situações sobre o desgastante trabalho do editor e as delicadas relações destes com os artistas dos quais depende seu trabalho. Kanpachi conhece tanto um autor veterano que produz de forma burocrática e sem paixão, quanto um autor jovem, desconfortável e inseguro criativamente por ter que desenhar cenas eróticas para aumentar as vendas.

O autor Seiki Tsuchida (1969~2012) destacou-se com obras para o público juvenil e adulto, como Orebushi e Onaji tsuki o mite miru. Henshuu Ou estreou no final de 1993 na revista para jovens adultos Big Comic Spirits (Ed. Shogakukan) e rendeu 16 volumes encadernados originalmente, que depois foram reorganizados em 10, com direito a uma versão de volumes formato "wide" em apenas 4 grandes volumes.

A versão dorama.

O sucesso do mangá acabou levando à produção de uma novela, ou Dorama, que é como têm sido chamadas as novelas nipônicas fora de seu país. Exibida entre outubro e dezembro de 2000 na Fuji TV, o dorama teve 11 episódios semanais e foi estrelada por Taizou Harada no papel de Kanpachi.


A história de Henshuu Ou pode ser vista tanto como um complemento quanto um contraponto ao mangá Bakuman (2008), que conta a história de dois jovens aspirantes a mangaká (autor de mangás). Muitas pessoas, incluindo profissionais da indústria, apontaram uma visão excessivamente romanceada de Tsugumi Ohba e Takeshi Obata, os autores Bakuman. Por outro lado, mostra a pressão insana sobre os autores, a realidade de artistas obrigados a fazer trabalhos que não gostam e a máquina de moer gente que é a indústria da cultura pop. Certamente há ficção e exagero, mas se presta a mostrar um mundo complexo e cheio de problemas, que não se limita a apenas criar uma história de sucesso.

A premissa do mangá é extremamente interessante e, por si só, valeria um lançamento no mercado brasileiro.

**************************************


- Você pode apoiar o meu trabalho de divulgação cultural em diferentes mídias, doando qualquer valor a partir de R$ 5,00 e incentive a continuidade do Sushi POP.

- A doação pela plataforma Apoio Coletivo pode ser única ou recorrente, de maneira pública ou anônima. - Se preferir, pode doar através do PIX: nagado@gmail.com - Muito obrigado pela atenção e apoio. Que Deus abençoe seu lar!


Visite nossos parceiros:


Comments


bottom of page