• Ale Nagado

Robô Gigante

Uma série de TV que marcou época na TV japonesa e virou ícone pop.

Capa da revista Shonen Sunday apresentando o Giant Robo, sucesso de 1967.

Vindo dos confins do Universo, um poderoso conquistador vem com sua nave à Terra e decide forçar seus habitantes a serem seus escravos ou serem destruídos, usando sua avançada tecnologia para criar monstros e máquinas de guerra. O invasor em questão é o monstro que se auto-intitula Imperador Guilhotina, líder do Bando BF (Big Fire), um exército de soldados e cientistas sempre prontos para cumprir seus planos de dominação mundial. Contra eles, a organização paramilitar Unicorn tem agentes especiais sempre prontos para o combate. Numa noite tranquila, o monstro marinho Dacolar surge e afunda um navio de passageiros japoneses, iniciando os ataques do Bando BF. Os únicos sobreviventes são o garoto Daisako Kusama (que viajava sozinho) e um homem chamado Jyuro Minami, o agente secreto U3, da divisão japonesa da organização armada internacional Unicorn.


Chegando em uma ilha misteriosa que servia de base para o BF, eles são capturados e levados a um hangar subterrâneo. Lá, encontram o enorme robô de combate que estava sendo finalizado. O cientista que estava sendo forçado a construir o chamado Robô Gigante, mostra a Daisako e Minami o relógio-comunicador que seria usado para comandar sua criação.


Sua cabeça foi inspirada na Grande Esfinge de Gizé, no Egito, uma milenar construção que representa uma figura mitológica com corpo de leão e cabeça humana, que por sua vez teria sido baseada no faraó Quéfren. Essa característica deu um toque exótico e inconfundível ao Robô, que foi criado para ser a arma suprema do Bando BF para forçar a rendição da humanidade.


De brincadeira, Daisako fala perto do microfone do relógio, e sua voz acaba sendo registrada na memória do Robô. Mas o velho cientista tinha planos de destruir o gigante de metal para que não fosse usado como arma do Imperador Guilhotina e se rebela contra seus captores. Ele acaba morto, mas antes consegue ativar uma bomba que havia preparado.

Preparando para decolar da base da Unicorn.

Minami e Daisako escapam por pouco e, de longe, veem a base voar pelos ares. Mas, para a surpresa de todos, o Robô Gigante resistiu à explosão e a energia liberada fez com que seus circuitos fossem ativados. Uma vez operacional, Daisako descobre que podia controlar o Robô com o relógio especial. Tendo sido a primeira voz identificada pelo gigante, o garoto passa a ser seu mestre. Com 30 metros de altura e capaz de voar, o Robô Gigante possui recursos poderosos para enfrentar os monstros, robôs e máquinas de guerra do Bando BF. Entre as principais armas, os mísseis da ponta dos dedos, raios laser dos olhos, lança-chamas da boca e o temível Soco de Um Megaton.

Recrutado para a Unicorn pelo Chefe Azuma, Daisako recebe o codinome U7, passando a agir secretamente para combater o Bando BF. Entre os destaques da equipe, havia ainda a oficial de comunicações Mitsuko Nishino (U5), e ainda outra criança, Mari Hanamura (U6), dotada de extrema inteligência, capaz de falar vários idiomas.

Mitsuko (U5), Daisako (U7), Marie (U6) e o Chefe Azuma.

Arma suprema da Unicorn, o Robô Gigante de 20 metros de altura era capaz de voar e desferir uma variedade de ataques, como raios laser (emitidos dos olhos), lança-chamas (da boca), mísseis (da ponta dos dedos) e seu mais famoso golpe, o Soco de 1 Megaton, que levava qualquer inimigo a nocaute. Enfrentando monstros, outros robôs e gigantescas máquinas de guerra, o Robô Gigante trava batalhas difíceis, sempre vencendo graças ao seu vasto arsenal.

No final da série, o Imperador Guilhotina se torna um gigante e ameaça explodir seu corpo com força suficiente para destruir a Terra. Após enfrentar vários monstros, o Robô ficou sem energia e parecia o fim de tudo, então, ele começou a se mover com sua última reserva, mas não estava seguindo ordens, se movia por vontade própria. O gigante agarrou Guilhotina e decolou a velocidade máxima, levando a ameaça para longe.


Contrariando ordens de Daisako e mostrando vontade própria, o heroico gigante explodiu no espaço junto com o vilão. Foi um final bastante dramático e até incomum nesse gênero de seriado, quebrando clichês e deixando muitos fãs chocados com o nobre sacrifício do robô.


Criação de Mitsuteru Yokoyama (1934~2004), o Robô Gigante surgiu com o nome Giant Robo e estreou em abril de 1967 na revista semanal japonesa Shonen Sunday, da editora Shogakukan. A obra surgiu a partir de um pedido da Toei Company, que estava atrás de um novo personagem para adaptar em uma série de TV, que acabou estreando em outubro do mesmo ano.


Voltada ao público adolescente masculino, a Shonen Sunday apresentou vários personagens que seriam conhecidos no Brasil, como Ranma ½, Patlabor, Mai - A garota sensitiva, Inu-Yasha e Kamen Rider BLACK. Outras adaptações, com outros autores, foram lançadas na época e em diferentes publicações, aproveitando a boa aceitação da série.


Desenvolvida numa época anterior ao termo "politicamente correto", a série mostrava as crianças Daisako e Marie manejando armas de fogo realistas e liquidando os capangas do Bando BF a tiros, sem problema algum. Tal coisa seria impensável nos dias de hoje, ainda mais em se tratando de uma série infantil para exportação.


Robô Gigante marcou a estreia como diretor de efeitos especiais de Nobuo Yajima (1928~2019), que nas décadas seguintes seria o responsável pelos efeitos de todas as séries da Toei. Nos bastidores, se destacou o produtor Toru Hirayama (1929~2013), que se tornaria uma figura emblemática na história dos super-heróis da Toei Company, pois foi a partir de pedidos e sugestões dele que o autor Shotaro Ishinomori (1938~1998) criou Gorenger e Kamen Rider, as séries que dariam origem às franquias Super Sentai e Kamen Rider, respectivamente.

Daisako (U7) e Minami (U3).

Nos EUA, a série foi rebatizada como Johnny Sokko and His Flying Robot. Esse era o título que aparecia na abertura da versão exibida no Brasil. Além da mudança de Daisako para Johnny Sokko, o herói Minami fora rebatizado para Jerry e o Bando BF (de Big Fire) virou a Gargoyle Gang, entre outras alterações. Ignorando tudo isso, a adaptação brasileira seguiu o texto original e manteve os nomes japoneses quando a série foi exibida nos anos 70 na extinta TV Tupi e posteriormente na TV Record. Em 2018, foi lançado em DVD pela World Classics, sendo posteriormente relançado pela Cult Classics. Uma grande picaretagem cometida na versão exibida nos EUA foi que a empresa American International Television inventou novos créditos, dando a entender que o Robô Gigante era uma produção americana. Tal prática de se chamar tradutor de "roteirista", responsável pela adaptação de "diretor" e o dono da distribuidora de "produtor" se perpetrou em muitas séries japonesas traduzidas para o público dos EUA e depois redistribuídas para o resto do mundo. Em 1970, quatro episódios (incluindo o primeiro e o último) foram editados na forma de um longa-metragem para a TV nos EUA, intitulado Voyage Into Space. O curioso é que a saga toda se passa na Terra (e não no espaço sideral), fato que passou desapercebido pela distribuidora na hora da criação do título.

Giant Robo The Animation

Obra cultuada e com muitos fãs nostálgicos, sua fama atravessou décadas e, em 1992, ganhou uma aclamada minissérie em animê diretamente para o mercado de vídeo. Giant Robo The Animation, também conhecido como Giant Robo - The Day the Earth Stood Still, foi um projeto capitaneado pelo diretor Yasuhiro Imagawa, que contou com 7 aventuras de média-metragem (entre 40 e 60 min), lançadas entre 1992 e 98. O primeiro capítulo chegou a sair no Brasil, direto em fitas de vídeo VHS. Agora, Daisako é auxiliado por uma nova organização secreta, onde se destaca a agente Ginrei, que de tanto sucesso, até ganhou aventura solo, uma minissérie para vídeo em 3 partes, lançada entre 1994 e 95.

GR - Giant Robo

Em fevereiro de 2007, uma série de TV em animê com 13 episódios foi lançada no Japão, com uma nova interpretação para o famoso gigante. Inicialmente foi produzido um episódio-piloto de visual bastante fiel à série tokusatsu, mas depois os produtores optaram por criar uma versão bem diferenciada. GR - Giant Robo não teve a mesma repercussão que a série em vídeo, mas serviu para renovar o interesse no personagem. Foi lançado no Brasil pela Netflix em 2015. Como poucos personagens conseguiram, o Robô Gigante deixou sua marca no campo do mangá, do tokusatsu e do animê. Mesmo tendo estreado primeiro no mangá, ele foi concebido para gerar uma aventura seriada para a TV, e foi o sucesso de sua versão em tokusatsu que teria no público um grande e duradouro impacto. Seu sacrifício no último capítulo impressionou os fãs e o colocou no panteão dos grandes personagens da cultura pop japonesa.

Boneco da linha Revoltech.

SAIBA MAIS:

- Action Figure do Robô Gigante ARQUIVO: - Séries de TV e Web (resenhas)


VÍDEO ESPECIAL:

- Eis aqui um resumo das batalhas do Robô Gigante. Veja antes que tirem do ar.


::: FICHA TÉCNICA :::

ROBÔ GIGANTE Título original: Giant Robo ~ ジャイアントロボ Estreia no Japão: 11/10/1967 (NET- atual TV Asahi) Número de episódios: 26

EQUIPE DE PRODUÇÃO


Roteiro: Masaru Inoue, Hiroo Matsuda, Hisashi Abe, Shichijomon

Música: Takeo Yamashita

Diretores Assistentes: Akira Tateno, Kashiwa Yamauchi, Nagafumi Hori, Yoshiharu Tomita, Kimio Shimazaki, Kunio Kurita e Yoshiaki Kobayashi

Efeitos especiais: Nobuo Yajima, Yasuo Ogawa e Masao Ichikura

Direção de Arte: Shigeru Inoue, Hiroro Kubono

Diretor: Minoru Yamada, Kouichi Takemoto, Itaru Orita, Michio Konishi e Katsuhiko Taguchi

Produtores: Shinichi Miyazaki (NET), Toru Hirayama, Hisatomo Tsuboi, Taiji Ueda

Realização: Toei Tokyo Productions Emissoras no Brasil: TV Tupi e TV Record ELENCO Daisaku Kusama/ U7: Mitsunobu Kaneko Jyuro Minami/ U3: Akio Itoh Mitsuko Nishino/ U5: Yumiko Katayama Mari Hanamura/ U6: Tomomi Kuwabara Chefe Azuma/ U1: Shozaburou Date

Imperador Guilhotina (voz): Hirohiko Sato Aranha: Matasaburo Tanba Dr. Over: Mitsuo Ando Diamante Negro: Hideo Murota Cobra Vermelha: Koji Miemachi Robô Gigante (suit actor): Toshiyuki Tsuchiyama Dublês e suit actors: Takao Watanabe, Hisao Mizoguchi, Takeo Kokubo, Hiroyuki Kiuchi, Teruo Shimizu, Masahiro Kiyokawa e outros.

Narrador: Koichi Chiba


Campanha Sushi POP no Apoio Coletivo:

- Você pode apoiar o meu trabalho de divulgação cultural, doando qualquer valor a partir de R$ 5,00 e incentive a continuidade do Sushi POP.

- A doação pela plataforma Apoio Coletivo pode ser única ou recorrente, de maneira pública ou anônima. - Se preferir, pode doar qualquer valor através do PIX: nagado@gmail.com - Muito obrigado pela atenção e apoio. Que Deus abençoe seu lar!


Visite nosso canal parceiro:


::: TÚNEL DO TEMPO TV - Nostalgia de Séries, Filmes e Desenhos! :::