top of page

Gatchaman: G-Force e a Batalha dos Planetas

Uma das mais importantes e influentes animações japonesas, que gerou sequências e uma grande franquia.

Dirk e Ace, heróis da G-Force.

Por Bruno César [*]


No início dos anos 70 o estúdio japonês Tatsunoko Productions já havia se consolidado no mercado de animações. Após produzir grandes sucessos na década anterior, como Ás do Espaço, Speed Racer, O Judoca e Guzula, chegava a hora de trazer uma série inovadora, com elementos espaciais, apresentando um time de heróis em defesa da Terra. Assim, surgia em 1972, o animê Science Team Gatchaman, sendo conhecido mais tarde no ocidente pelos títulos Batalha dos Planetas e G-Force: Os Guardiões do Espaço.


A trama tinha início com o ataque de um terrível império espacial, liderado por Galático. Um ser malígno que pretende se apoderar da Terra e seus recursos, enviando robôs gigantes para atacar a humanidade, contando também com vários comandantes e soldados rasos. Sabendo da ameaça, os líderes mundiais passam a procurar uma solução para conter os ataques. Até que o Doutor Brighthead revela seu plano secreto, escondido há algum tempo. Ele havia treinado uma equipe de cinco jovens, usando técnicas ninja e alta tecnologia, para lutar em defesa do planeta. Esta equipe era chamada como G-Force e contaria com o próprio Doutor como seu mentor.


O time, que usaria trajes de combate baseados em aves, era formado pelo líder Ace Goodheart (Ken, o Águia na tradução do nome original), um jovem maduro e de grande valentia, com traje baseado em uma águia. Dirk Daring (Joe, o Condor), o segundo em comando, tinha personalidade forte e era muito impulsivo, com traje baseado em um condor. Agatha June (June, a Cisne), a única moça da equipe, era valente e ao mesmo tempo muito feminina, sempre pilotando uma moto de combate, possuía traje baseado em um cisne. Pee Wee (Jinpei), o mais jovem da equipe, com cerca de 10 anos de idade, era muito corajoso e curioso, com seu traje baseado em uma andorinha. Por fim, Hoot (Ryu, o Coruja), o piloto da nave de combate, era o membro de temperamento mais brando da equipe, com seu traje baseado em uma coruja.

Ace, Dirk, Agatha, Pee Wee e Hoot.

Entre os equipamentos e armas, está a nave de combate e transporte dos heróis, Phoenix. Ali recebiam as instruções do Doutor Brighthead antes dos combates, através de um monitor. Contava com sistema de mísseis, que muitas vezes era usado sem permissão por Dirk, em seus momentos de impulsos heroicos. Em momentos de perigo, a nave se transformava realmente na lendária ave que lhe dava nome, tornando-se um imponente pássaro de fogo.


Em muitos episódios, os protagonistas também eram apresentados em suas vidas civis, com suas realidades e dilemas. Assim conhecemos o passado de Ace, que teve seu pai desaparecido quando tinha apenas quatro anos, mais tarde tornando-se piloto de testes e entregador, até entrar para a G-Force. Dirk era tido como rebelde por seu passado difícil, já que era filho de um casal que trabalhava para Galático. Agatha e Pee Wee se conheceram em um orfanato, passando a viver como irmãos, morando e trabalhando na lanchonete GoGo Café Snack J. Hoot é o único membro que conhece sua família, embora muitas vezes se sinta inferior aos outros, por ser o piloto da nave Phoenix e poucas vezes entrar em combate. Outro personagem marcante na trama é o misterioso Barão Vermelho. Os visuais e trajes dos personagens são bastante característicos de sua década de produção, pois usam cabelos ligeiramente longos, roupas coloridas, calças boca de sino e por vezes boinas.


A série foi criada por Tatsuo Yoshida, produzida por Ippei Kuri e dirigida por Hisayuki Toriumi. Sua exibição original ocorreu entre 01 de outubro de 1972 e 29 de setembro de 1974 na TV Fuji, contando com um total de 105 episódios. O sucesso da série foi notável, fazendo com que fossem encomendadas mais duas sequências, chamadas como Gatchaman II (1978) e Gatchaman Fighter (1979). A série original é tida como um dos maiores marcos da animação japonesa até os dias de hoje.

Gatchaman convertido em Batalha dos Planetas.

O sucesso do animê logo chamou a atenção de produtoras norte-americanas, por se tratar de uma animação do mesmo estúdio do sucesso Speed Racer, que havia conquistado o público ocidental. Assim, em 1978, a produtora Sandy Frank, motivada pelo sucesso da franquia espacial Star Wars, viu potencial no animê que possuía temática semelhante ao sucesso dos cinemas, adquirindo-o em abril de 1977 na conferência MIP-TV em Cannes. Foi realizada uma nova edição, com cortes e diálogos alterados, sendo que apenas 85 dos 105 episódios originais foram usados. Como alguns episódios sofreram muitos cortes, foram adicionadas cenas originais da Sandy Frank no início e final dos episódios, com o robô 7-Zark-7 falando sobre os episódios. Essa versão foi chamada como Battle of The Planets, ou Batalha dos Planetas.


Nos anos 80, a Sandy Frank vendeu os direitos para a Turner International, que não aproveitou a edição feita anteriormente. Assim, a série passou por uma nova edição, à partir da original japonesa, tendo bem menos cortes e não mais utilizando as cenas inseridas do robô 7-Zark-7. A nova versão ficou muito mais fiel à original, ganhando novo tema de abertura com base nas imagens da introdução japonesa. O número de 85 episódios foi mantido. Essa versão foi chamada como G-Force: Os Guardiões do Espaço.


O animê chegou ao Brasil através de fitas VHS, entre o final dos anos 80 e início dos anos 90, com a versão G-Force, ganhando dublagem no estúdio paulista Mastersound. Estreou na TV por assinatura, ainda no início dos anos 90, pelo canal Cartoon Network, onde ganhou uma nova dublagem pelo estúdio carioca Herbert Richers. Posteriormente foi reprisado no canal Boomerang, que por vezes fazia grandes maratonas de episódios aos finais de semana.

Chegou à TV aberta apenas no ano de 2003, pela Rede Bandeirantes, que vinha exibindo vários animês no programa Band Kids, mas desta vez com a versão Batalha dos Planetas. A dublagem desta versão foi realizada no estúdio paulista Dubla Vídeo. Em certo período, a emissora paulista passou a exibir animês em horário nobre, de segunda à sexta, às 21h30. Pegando a todos de surpresa, a estreia foi anunciada para o dia 22 de setembro de 2003, substituindo outro animê de grande sucesso no Japão, Slayers. A passagem do animê pela emissora foi bastante rápida, mas ainda ganhou algumas reprises aos finais de tarde em outra emissora do Grupo Bandeirantes, a Rede 21, até meados de 2004.


Ainda há que se mencionar que as séries de sequência, Gatchaman II (1978) e Gatchaman Fighter (1979), também chegaram ao ocidente nos anos 90, via distribuidora Saban Entertainment, com nova edição, reduzindo ambas para uma única série de 65 episódios, chamada como Eagle Riders. Foi exibida por breve período na TV por assinatura, pela Fox Kids, e na TV aberta pela Globo.


Atualmente o animê é pouco lembrado no Brasil, pelo fato de ter sido exibido por um breve período em TV aberta, além de ter dois títulos e edições diferentes no ocidente. Ainda assim, é possível conferir os dois primeiros episódios da versão G-Force, com dublagem da Mastersound, através do único volume em DVD lançado pela distribuidora Kives.


[*] Bruno César é autor do blog Clássicos na TV.

Ilustração pelo astro americano Alex Ross. Os personagens são populares nos EUA.

::: FICHA TÉCNICA :::


G-Force: Os Guardiões do Espaço / Batalha dos Planetas

Título original: Kagaku Ninja Sentai Gatchaman ~ 科学忍者隊ガッチャマン

Estreia no Japão: 01/10/1972 (TV Fuji) Número de episódios: 105 (Gatchaman), 85 (G-Force/ Batalha dos Planetas)

Emissoras no Brasil: Cartoon Network, Boomerang (como G-Force)/ Band, Rede 21 (como Batalha dos Planetas)


EQUIPE DE PRODUÇÃO

Criação, design de personagens: Tatsuo Yoshida

Planejamento: Jinzo Toriumi, Satoshi Suyama Roteiro: Jinzo Toriumi, Satoshi Suyama, Akiyoshi Sakai, Takeo Matsuura, Hirohisa Soda e outros.

Design mecânico: Koki Nakamura, Kunio Okawara

Diretor de animação: Sadao Miyamoto

Diretores-assistentes de animação: Koji Minami, Shigeyuki Ikeda

Trilha sonora: Bob Sakuma Story-boards: Hisayuki Toriumi, Hideo Nishimaki, Masami An'nou e outros.

Cenários: Mitsuki Nakamura, Tsuneo Nonomiya e outros.

Direção geral: Hisayuki Toriumi

Produtor: Ippei Kuri

Produtores associados: Mitsuo Sato, Minoru Uchima, Makoto Kondo, Masaharu Kamata

Colaboração: Fuji TV

Realização: Tatsuo Yoshida, Tatsunoko Pro


VOZES ORIGINAIS (Nome em G-Force/ Nome original ~ Tradução do Nome)


Ace Goodheart/ Oowashi no Ken ~ Ken, o Águia (G1): Katsuji Mori

Dirk Daring/ Condoru no Joe ~ Joe, o Condor (G2): Isao Sasaki

Agatha June/ Shiratori no Jun ~ Jun, a Cisne (G3): Kazuko Sugiyama

Pee Wee/ Tsubakuro no Jinpei ~ Jinpei, o Andorinha (G4): Yoku Shioya

Hoot/ Mimizuko no Ryu ~ Ryu, o Coruja (G5): Shingo Kanemoto

Dr. Brighthead/ Dr. Kozaburo Nanbu: Toru Ohira


::: E X T R A S :::


1) "Gatchaman no Utá" ("A canção de Gatchaman") - Tema original em versão completa

Letra: Tatsunoko Productions Literature Club / Melodia: Asei Kobayashi / Arranjo: Bob Sakuma

Intérprete: Masato Shimon


2) Trailer da versão tokusatsu para cinema, de 2013:


Visite nossos parceiros:




Commentaires


bottom of page